PALHAÇO





Eita que eu estou feliz, sempre acreditei que meu sólo "Clov's o INTERNACIONÁVEL" iria me salvar. Essa salvação se deu em várias esferas, salvou minha quase decisão em abandonar o oficio do teatro após quase 20 anos envolvido nele, salvou meu prazer em estar em cena que já havia se diluido e se transformado em cumprimento de agenda, me fez enxergar que há um potêncial em mim que nem eu mesmo acreditava existir, me deu forças para montar um grupo e sair após dez anos do único grupo estável em Criciúma-SC.



Tomadas de decisão só são feitas quando há paixão envolvida, e foi essa paixão que me fez tomar decisões importantes para meu futuro profissional e meu crescimento como ser humano.



A grande motivação tem um nome, um nome que no Brasil muitos o utilizam em outra língua, e que eu prefiro chamar de Palhaço, o ofício que jamais imaginei que pudesse ser o meu. Primeiro porque nunca me achei suficientemente engraçado, segundo porque nunca gostei tanto de palhaço assim. Mas rememorando minhas lembranças lembrei que minha primeira fantasia de carnaval quando criança foi a de palhaço, minha primeira peça de teatro como platéia aos 7 anos foi "Biriba Contra O Lobisomem" protagonizado pelo famoso palhaço de circo teatro (Biriba - pai) do tradicional circo teatro aqui do sul, minha primeira peça de teatro amador se passava no circo e chamava-se"O Menino eo Circo".



Acho que nem que eu não quisesse, o universo do circo e a figura do palhaço iria emergir uma hora ou outra em minha vida.



Ele veio, aportou, me confrontou, me deu muitos pés na bunda quiçá me dará muito mais, e me fez apaixonar. Hoje me vejo como artista sob uma outra perspectiva, a possibilidade da exposição, do riso, da brincadeira, do erro como acerto, do acerto como erro, de me gerir, enfim, de me por em cheque a cada momento.



O início dessa nova caminhada devo totalmente a esse ser Palhaço que habita em mim, que sou eu, que sou ele, a possibilidade de cada dia descobrir esse ofício e aperfeiçoar o jogo, a brincadeira me faz querer mais e mais ser Palhaço. Sou um ator melhor, um ser humano melhor a partir dessa figura reveladora.



Dúvidas, alegrias, medos, erros, acertos, triunfos, fracassos, tudo isso fará parte da minha vida artística nessa nova caminhada. Mas que venha porque os antagonistas desses sentimentos são tão necessários quanto os protagonistas.



E o melhor, ser Palhaço é saber que é para vida inteira!